11 Setembro, 2017

SINTRACOOP – ES ASSINA CONVENÇÕES COLETIVAS

As convenções são válidas pelo período de 2017 a 2019, com revisão das clausulas econômicas em 2018
 
O Sintracoop – ES e a OCB/ES assinaram na última segunda-feira (04/09) as convenções coletivas de trabalho ramos Geral/Educacional, Agropecuária e Laticínios, Crédito, Trabalho e Transporte/monitores e Saúde. De acordo com o presidente do Sintracoop – ES, Evaristo Lunz Gomes, este ano as negociações estenderam-se mais o que esperado por conta do esforço do sindicato em manter cláusulas que assegurem os direitos trabalhistas, mesmo depois que a reforma começar a valer. “Este ano as negociações se prolongaram, pois o sindicato teve a responsabilidade de não fechar as convenções coletivas sem garantir que fossem inseridas as cláusulas de proteção ao trabalhador no que tange os pontos negativos da reforma trabalhista. Não só garantimos estas cláusulas, como também negociamos todos os ramos com ganhos reais”, explicou Evaristo. A inflação no período ficou em 3,34%.

 

As propostas foram negociadas e apresentadas aos trabalhadores que votaram e aceitaram os índices propostos pelo sindicato patronal. Foram visitadas as cooperativas em todo o estado, com urnas itinerantes para que todo trabalhador pudesse ter o direito de participar das decisões. “Queremos agradecer a todos os trabalhadores que nos receberam em suas cooperativas e participaram ativamente deste movimento de votação em todo o estado. Esperamos sempre contar com o apoio de todos”, ressaltou o presidente.

A partir desta data o sindicato estará recebendo as cartas de oposição até o dia 04 de outubro de 2017. Aos interessados, Evaristo orienta para que os trabalhadores pensem bem na hora de abrir mão do sindicato. Principalmente neste momento, onde o governo tenta a todo custo tirar direitos. “Alertamos que com a reforma trabalhista, os trabalhadores poderão ficar órfãos de proteção, uma vez que estão se negando a reconhecer o seu sindicato. Estamos trabalhando cada vez mais para que os trabalhadores não sofram as consequências de ver seus direitos serem retirados e por isso contamos com a união da categoria”, encerrou.

 
ÍNDICES DE REAJUSTE SALARIAL POR RAMO
 
RAMO AGROPECUÁRIO:
SEGURO DE VIDA: REAJUSTE DE 10%
TICKET ALIMENTAÇÃO: MÍNIMO R$300,00 - QUEM GANHA ACIMA REAJUSTE DE 4%
PISO SALARIAL: REAJUSTE DE 5,24%
QUEM GANHA ACIMA O REAJUSTE SERÁ DE 3,40%

 

RAMO GERAL/ EDUCACIONAL:

AUXÍLIO CRECHE: REAJUSTE DE 33,33%
SEGURO DE VIDA: REAJUSTE DE 20,00%
TICKET ALIMENTAÇÃO GERAL: REAJUSTE DE 4,00%
TICKET ALIMENTAÇÃO EDUCACIONAL: 10,39%
PISO SALARIAL: REAJUSTE DE 4,90%
QUEM GANHA ACIMA O REAJUSTE SERÁ DE 3,40%

RAMO CRÉDITO:


AUXÍLIO CRECHE: REAJUSTE DE 16,67%
SEGURO DE VIDA: REAJUSTE DE 66,67%
TICKET ALIMENTAÇÃO: REAJUSTE DE 4,00%
PISO SALARIAL: REAJUSTE DE 5,38%
QUEM GANHA ACIMA O REAJUSTE SERÁ DE 4,00%

 

TRABALHO/TRANSPORTE:

AUXILIO CRECHE: REAJUSTE DE 12,50%
SEGURO DE VIDA: REAJUSTE DE 12,50%
TICKET ALIMENTAÇÃO: REAJUSTE DE 3,40%
PISO SALARIAL: REAJUSTE DE 4,90%
QUEM GANHA ACIMA O REAJUSTE SERÁ DE 3,40%

SAÚDE:

SEGURO DE VIDA: REAJUSTE DE 16,66
AUXILIO CRECHE: 12,18%
TICKET ALIMENTAÇÃO: 4%
PISO SALARIAL: REAJUSTE DE 4,81%
QUEM GANHA ACIMA O REAJUSTE SERÁ DE 3,40%

Veja também