23 Maio, 2018

COOPERATIVAS SUSPENDEM PRODUÇÃO DEVIDO A GREVE DE CAMINHONEIROS

FOTO: PRF - DIVULGAÇÃO
FOTO: PRF - DIVULGAÇÃO

A greve dos caminhoneiros iniciada na última segunda-feira (21/05) que se alastrou por todo o país tem afetado o escoamento da produção e também o recebimento de matéria prima na maioria das industrias. Em função das dificuldades de armazenagem e transporte, algumas cooperativas já anunciaram a suspenção das atividades. Em Palotina, a cooperativa C.Vale que processa atualmente 530 mil frangos/dia e 50 mil tilápias/dia decidiu paralisar o abate já a partir desta quarta-feira (23/05).

Na mesma linha, a cooperativa Aurora Alimentos comunicou nesta terça-feira, 22, que vai paralisar totalmente as atividades das suas indústrias de processamento de aves e suínos em Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, inicialmente, nesta quinta-feira, 24, e sexta-feira, 25. Segundo nota divulgada à imprensa, a cooperativa justifica que além de não ter espaço para armazenar seus produtos, o recebimento de mercadoria para a produção também está comprometida. "A suspensão total das atividades tornou-se imperativa e inevitável em razão dos efeitos do movimento grevista, que impede a passagem dos caminhões que transportam todos os insumos necessários ao funcionamento das indústrias e, também, o escoamento dos produtos acabados para os portos e os centros de consumo. A capacidade de estocagem de produtos frigorificados - de 50 mil toneladas - está exaurida", disse a companhia, no comunicado. A Aurora Alimentos acrescentou, ainda, que os produtores de frangos e suínos estão prejudicados, visto que o movimento dos caminhoneiros impede o fornecimento de ração, pintinhos e material genético, entre outros insumos necessários à atividade, e a retirada da produção agrícola e pecuária.

A Cooperativa Agroindustrial Copagril informou que suspenderá o abate de frangos na Unidade Industrial de Aves, em Marechal Cândido Rondon a partir desta quinta-feira, 24. A Frimesa paralisou as atividades nos frigoríficos das unidades de Medianeira e de Marechal Cândido Rondon já nesta quarta-feira, mas afirmou que assim que a greve terminar e as estradas voltarem a ser liberadas a cooperativa vai retomar os abates. A Lar Cooperativa Agroindustrial, comunicou que vai suspender o abate de 615 mil aves e industrialização de outras 80 toneladas de produtos nesta quarta-feira, dia 23. “A suspensão da operação de abate e industrialização tornou-se inevitável em razão dos efeitos do movimento grevista que impossibilita a passagem de caminhões com insumos necessários para abastecer as indústrias, aves vivas para o abate, expedição dos estoques para atender clientes e mercados a nível regional e nacional, bem como não permite a chegada de containers para expedir os estoques que precisam ser destinados aos portos, fazendo com que a capacidade de estocagem instalada esteja totalmente tomada”, informou.

Apesar de ter a produção afetada, as cooperativas em suas notas ressaltaram que entendem o protesto dos caminhoneiros e pedem que o governo dialogue com eles para que encontrem uma saída o mais breve possível. Os caminhoneiros protestam contra a alta constante do óleo diesel e também sobre a carga tributária incidente sobre os combustíveis. Os bloqueios são organizados pela Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) e já atingem 24 estados e o Distrito Federal.

 

Veja também